Tema: O diagnóstico do diabo e a fé de Jó
Texto Áureo: Jó 1:7-12, 4:6

Introdução: Ao ler o livro de Jó nos deparamos com uma história intrigante e ao mesmo tempo emocionante. Jó, sua esposa, seus amigos, o diabo e um personagem fascinante: Deus. Ao analisar esta história vislumbra-se  a grandeza de Deus agindo em nossas vidas. Também encontramos lições poderosíssimas para o nosso viver cotidiano.

Vamos analisar a filosofia de cada um desses personagens e tentar extrair o máximo de experiência para que nos dias de dificuldades possamos  avaliar bem os acontecimentos e permanecermos firmes na fé no Todo Poderoso.

I. O DIAGNÓSTICO DO DIABO ( Servir por Interesse – Jó 1:7-12, 4:6)
Nestas passagens encontramos uma filosofia interessante: o diabo afirma para Deus que Jó só o servia por interesse haja vista o Senhor o ter enchido de bens e de saúde. O diabo estava completamente enganado. Jó servia a Deus pelo que Deus representava para ele. Ainda que não o conhecia completamente, ele esforçava-se para ser reto e integro. Quantas vezes o diabo afirma isso a nosso respeito e infelizmente alguns de nós não passamos no teste, deixando a impressão que o maligno estava certo; só servíamos a Deus por interesse. Esta passagem é uma revelação profunda e nos mostra o prazer que  Deus tem  naqueles que o adoram não apenas pensando no que poderão receber, mas  pelo prazer de estar em sua presença. A resposta de Jó nos revela quais eram os seus motivos em adorar a Deus: então, Jó Se levantou, rasgou a seu manto, rapou a cabeça e lançou-se em terra e adorou; e disse: nu sai do ventre de minha mãe e nu voltarei; o Senhor o deu e o Senhor o tomou; bendito seja o nome do Senhor.

II. O DIAGNÓSTICO DA MULHER DE JÓ (Não vale a pena servir a Deus e passar provas – Jó 2.8;9)
Há pessoas que não sabem discernir os acontecimentos e, diante deles, abrem a boca para falar o que não deve. A mulher de Jó deveria ser a primeira a ajudá-lo nesse momento de dor, porém, diante  das perdas e dos problemas que agora eles enfrentavam, ela diz para Jó amaldiçoar a Deus e morrer. Ela não entendia o porque de Jó permanecer fiel a um Deus que permitia tanto sofrimento. Talvez ao olhar para ele em decomposição e fétido, ela não conseguia enxergar outra saída para ele a não ser morrer, haja vista não haver Deus que o ajudasse, porém ela estava totalmente errada. Muitos são como esta mulher. Nos momentos de crise tomam decisões contrárias à vontade de Deus. Fazem coisas que não agradam a Deus. São pessoas inconstantes e que ainda não descobriram a razão da fé; elas precisam sempre ver ou ter para acreditarem que Deus é poderoso para mudar a situação. Infelizmente, esta história se repete quase todos os dias, muitos cristãos são reprovados pelo Senhor, pois não sabem suportar a tribulação e deixam de servir a Deus, acreditando que não vale mais a pena, somente porque estão passando por algum tipo de adversidade. Jó nos ensina que pessoas que agem assim estão fora do juízo e não conhecem a Deus. Ele diz receberíamos o bem e não receberíamos o mal. Ele acreditava que tudo estava no controle de Deus. Ele estava certo: Deus tinha apostado na sua integridade e ele estava vencendo, Glórias a Deus.

III. O DIAGNÓSTICOS DOS AMIGOS ( Jó sofria porque estava em pecado – Jó 8.3;4;5)
Esta filosofia também tem sido muito presenciada nos dias atuais: muitos pregam que doença ou algum tipo de tribulação é consequência de pecados. Conheço algumas pessoas que foram terrivelmente maltratadas e que quase decaíram por este tipo de diagnóstico. Certa vez ouvi alguém dizer sobre uma irmã que conheço que se ela realmente fosse crente ela não passaria o que estava passando. Este comentário infeliz veio à tona simplesmente porque o filho da irmã estava envolvido com drogas. Outros tecem comentários como este quando alguém não tem um padrão financeiro elevado, e assim por diante. Os amigos de Jó o acusaram de estar em pecado e  por isso ele passava por toda esta situação terrível. Como eles estavam errados! Eles julgavam o que não sabiam. Falavam do que não conheciam. Causaram dor a uma pessoa inocente. Quando lemos a história, vislumbramos rapidamente que o sofrimento de Jó não tem nada a ver com o pecado, mas sim com a fidelidade, retidão e honestidade. Ele estava sendo provado porque Deus sabia que ele era integro e não iria ceder ao maligno. O nome do Senhor estava sendo glorificado no céu, diante dos anjos e do diabo, que por mais que tentasse não conseguia abalar a fé de Jó.

IV. A FILOSOFIA DE JÓ (Deus pode todas coisas - Jó 42.2)
Diante de tantas provações e dor, Jó nos revela a fonte da sua força: ele sabia que o Deus que ele servia podia todas as coisas.

O poder de Deus não está limitado a esta vida, ele é eterno. Deus pode tudo e nada que ele intente fazer pode ser impedido. Esta certeza gera em nós uma força que pode nos levar a vencer barreiras intransponíveis.  A fé é justamente isto: a certeza das coisas que não se vêem mas que se esperam. Este principio pode ser aplicado em todas as áreas de nossa vida. O corpo está doente. Tudo o que vejo é um corpo cansado e fraco, mas pela fé eu posso ver a mão de Deus o tocando e ele sendo restaurado. O casamento esta em crise, mas a fé me permite ver Deus agindo e as coisas voltando aos seus devidos lugares. Jó estava sendo aprovado não apenas porque era reto e integro, mas principalmente, por ser um homem que sabia que nada era impossível para Deus. Foi esta confiança que Deus a ele a condição de fazer este diagnóstico e ele estava certo. Deus tudo pode e ninguém impede o seu agir ( Isaías 43.13).

V- Aprendizado:
1. Passamos por tribulação porque Deus confia em nós e sabe que não iremos envergonhá-lo. Nunca seremos provados além das nossas forças. O fardo é leve e o jugo é suave. Lute Deus está contando com a sua fidelidade.

2. Passamos por tribulação porque pessoas à nossa volta precisam ser edificadas. Nossa forma de passar pelas lutas do dia a dia edificam as pessoas que nos rodeiam e glorificam a Deus.

3. Provações são oportunidades de ter a revelação de Deus. É na prova que Deus se revela. Lembre-se que o próprio Jó afirmou: Eu te conhecia de ouvir falar, mas agora os meus olhos te vêem.

Conclusão: somos constantemente tentados a duvidar do amor e da fidelidade de Deus, contudo ao analisarmos a vida de Jó, percebemos que o sofrimento muitas vezes não nos atinge por nossa causa apenas, mas pelo próprio Deus para garantir que outras pessoas aprendam com ele. Por exemplo: hoje acabamos de aprender com  a vida de Jó, com sua filosofia. Também aprendemos que a nossa alegria e prosperidade incomodam ao diabo e ele tentará roubá-la, mas quando somos íntegros e fiéis, não servindo a Deus por interesses, e sim,  por tudo o que Ele é, o adversário nunca terá sucesso.
Continue marchando. A vitória está depois da muralha. Lutas são oportunidades, elas vêm e passam.
Que o bom Deus te abençoe muitíssimo.

Subsídios teológicos:
Então, Jó se levantou, rasgou o seu manto, rapou a cabeça e lançou-se em terra e adorou;
e disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu voltarei; o SENHOR o deu e o SENHOR o tomou;
bendito seja o nome do SENHOR! (Jó 1.20;21).

Então, sua mulher lhe disse: Ainda conservas a tua integridade? Amaldiçoa a Deus e morre.
Mas ele lhe respondeu: Falas como qualquer doida; temos recebido o bem de Deus e não receberíamos também o mal?
Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios. (Jó 2.9;10).

Perverteria Deus o direito ou perverteria o Todo-Poderoso a justiça? Se teus filhos pecaram contra ele, também ele os lançou no poder da sua transgressão. Mas, se tu buscares a Deus e ao Todo-Poderoso pedires misericórdia, se fores puro e reto, ele, sem demora, despertará em teu favor e restaurará a justiça da tua morada.
O teu primeiro estado, na verdade, terá sido pequeno, mas o teu último crescerá sobremaneira (Jó 8.3;4;5).

Então, respondeu Jó ao SENHOR: Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado (Jó 42.1;2)