Tema: Uma Pesca Maravilhosa!
Texto Áureo: Mateus 4.18.119; Lucas 5.1-10; João 21. 1-11

Introdução: Nem sempre conseguimos êxito em nossas tentativas exaustivas em obeter sucesso. As vezes paramos na beira do mar da vida e recolhemos as nossas redes carregadas de frustrações e tristeza.

Pedro, Thiago e João experimentaram esta triste realidade em uma noite que representa bem seus históricos de vida. Muitos estão vivendo uma noite vazia em suas almas e aos poucos estão jogando as redes fora e já não sabem o que fazer para mudar a situação. Quero dizer que este é o melhor momento para experimentar a intervenção divina. Deus age quando não podemos agir. Deus usa a nossa incapacidade total para nos surpreender com o seu toque de glória. Esta história nos mostra exemplos maravilhosos que nos inspiram a prosseguir diante das adversidades da vida. Na primeira pescaria Jesus os leva para o mar alto, porém na segunda pescaria Jesus opera o milagre praticamente nas margens do mar. Na primeira pescaria as redes se rompem, porém na segunda pescaria embora os peixes fossem maiores, elas permanecem intactas. Na primeira pescaria os discípulos estão pescando, na segunda pescaria Jesus está com o peixe preparado na brasa. Analisemos melhor estes textos a seguir:


NÃO PODEMOS DEPENDER DO NOSSO ESFORÇO E SIM DO PODER DA PALAVRA DE DEUS
Havia sido uma noite difícil e de muito trabalho para Pedro e seus dois sócios, Tiago e João; horas lançando as redes no mar da Galileia sem conseguir o sucesso esperado. Pedro era um pescador experiente, mas não havia apanhado nenhum peixe, esses pescadores estavam exaustos frustrados com seu fracasso daquela pescaria. Pedro e os demais recolheram suas redes a fim de guardá-las, na noite seguinte repetiriam a pescaria, talvez obtivessem sucesso, por hora só restava àqueles homens descansarem.

Onde estavam os peixes?

Quando Deus quer agir ninguém pode impedir... Não tinha nem uma sardinha para contar historia... Muitas vezes estamos focados no lugar errado, gastando tempo e esforços sem atingir os objetivos desejados. Talvez Pedro tivesse focado na sua experiência como pescador que era seu oficio, confiando no seu próprio braço. Quantas vezes lançamos “nossa rede” na certeza que a pescaria seria maravilhosa e quando a puxamos que decepção, nada, quantas vezes em meio a um problema temos a certeza que chegou nossa hora, e que os peixes virão... São tantas as adversidades, lutas, provas que nos deixam exaustos, nossos esforços, nossas experiências não valem de nada. Tudo que você põe a mão não dá certo. Você tem tentado caminhar e tem buscado vitórias sem o resultado esperado? Tem colhido tentativas frustradas e dúvidas quanto ao futuro? Seu FOCO está no lugar errado. Esta caminhando na direção errada lançou rede no lugar errado. Mas um dia Deus “resolve” olha para você, e tudo muda. Quando Jesus disse: “Não temas, crê somente” (Lucas 8:50), era uma análise profunda dessa emoção. Normalmente dizemos: “Não tenha medo, seja corajoso!” Jesus não disse simplesmente: “Não tenha medo.” Ele sabia muito bem que o medo é parte da estrutura do homem. Ele disse: “Não temas, crê somente.” Durante períodos de melancolia, como quando as Escrituras dizem: “Nem estrelas nem lua aparecem,” confiar em Deus é a âncora da alma. “Em me vindo o temor hei de confiar em Ti” (Salmos 56:3).

Aquela É a hora de confiar. Algo novo aconteceu naquela manhã; aquEle pregador, filho de José, o carpinteiro de Nazaré - cidade próxima à aldeia onde Pedro morava -, passeava pela areia da praia e era seguido por uma grande multidão. Parando diante de Pedro, pediu sua ajuda para que, de seu barco, um pouco dentro do mar, tivesse condições de falar àquelas pessoas tão carentes de orientação divina.

Atendendo ao convite, Pedro levou Jesus aonde Ele havia pedido e, sentado ao Seu lado, ouvia atentamente à voz do Mestre. Finda a mensagem, Pedro recebeu de Jesus uma ordem totalmente contrária à sua grande experiência de pescador, que não se coadunava com suas recentes tentativas: voltar ao mar alto e lançar as redes novamente. Mas ele já tentara tantas vezes, em tantos lugares, durante toda a noite, sem sucesso! Aquela, porém, era uma nova tentativa, diferente, de certo, pois estaria lançando as redes da forma que Jesus queria, no lugar que Ele havia orientado e no tempo escolhido pelo Senhor.  Que resultado poderia obter? Os versículos 6 e 7 nos descrevem: "isto fazendo, apanharam grande quantidade de peixes; e rompia-se-lhes as redes. Fizeram sinais aos companheiros do outro barco, para que fossem ajudá-los.  E foram e encheram ambos os barcos, a ponto de quase irem a pique."

A partir daquele dia, Pedro reconheceu que não havia como continuar suas atividades corriqueiras, diárias, sem a orientação e a companhia de Jesus. Ele decidiu que tudo o que fizesse a partir de então seria "sob a Sua palavra".

Você tem tentado caminhar e tem buscado vitórias sem o resultado esperado? Tem colhido tentativas frustradas e dúvidas quanto ao futuro? A sua rede tem se enchido de peixes (frutos), deste esforço, deste trabalho? Meu irmão, minha irmã cadê os peixes? Atente para as instruções que o Mestre quer te dar, siga-as e então sua rede irá a pique de tanto peixe. Não desanime, jogue sua rede, mas faça isso orientado pela voz do Mestre. Suas tentativas estão baseadas na sua própria tese de "lançamento de redes" e não nas do Senhor?Você acredita que esta fazendo da maneira correta. Quero desafiá-lo(a) a sentar e ouvir o que Jesus tem a dizer sobre sua vida e atentar para a forma, o lugar e o tempo de "lançar as redes", já providenciados para você. Dê ouvido à orientação de Jesus Cristo e os peixes virão, de modo que compartilhará com outros.


TEMOS QUE TER O CUIDADO PARA NÃO SERMOS CONSUMIDOS PELAS BÊNÇÃOS
Vejam que o milagre de Deus é sempre maior do que imaginamos. Deus sempre nos surpreende com algo além da nossa imaginação: Pedro não havia pescado nada e agora as redes não comportam a quantidade dos peixes. Observe que o barco dele quase naufragou devido à quantidade do pescado. Ele sabiamente chamou os outros pescadores e repartiu com ele os peixes para não ir a pique. Muitos recebem bênçãos e não conseguem vislumbrar o propósito de Deus agarrando-as somente para si e por causa disso são destruídos aos poucos, pois não compreenderam que o milagre de Deus não é apenas para o nosso desfrute, mas para aqueles que estão em nossa volta também. Quando queremos reter as bênçãos somente para nós corremos o sério risco de naufragarmos pela grandeza da bênção. O segredo é abençoar para que sejamos mais e mais abençoados. Foi isso que o Senhor disse a Abraão: abençoarei os que te abençoarem e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem.

3. MUITAS VEZES NÃO RECEBEMOS O MILAGRE PORQUE NÃO ESTAMOS PREPARADOS
Todos estavam lavando as redes, porém Pedro estava com as redes sujas. É interessante observar que o milagre foi tremendo e as redes não estavam preparadas para tal. A Bíblia enfatiza a cena relatando que as redes se romperam e o barco quase ia a pique.  Compreendemos deste texto que as vezes é necessário uma preparação para vivermos o que o Senhor tem para nós. “ um pescador de homens”. O problema de muitos é que eles desejam o milagre mas não se preparam para ele. Querem o sobrenatural mas não estão dispostos em buscá-lo. Precisaram de uma intervenção divina mas não dão espaço para ela ocorrer. Querem o novo mas não abrem mão do velho. Redes velhas não seguram peixes grandes, elas se rompem e rasgam-se. Eu acho lindo o paralelo de Jesus com Pedro e as redes. As redes representavam o próprio Pedro; elas não estavam preparadas e ele também não.

Foi necessário quase três anos de preparação para que Pedro entendesse o projeto divino para sua vida. Jesus repete o milagre em João capitulo 21, porém agora você observa que A Bíblia enfatiza que foram 153 grandes peixes e as redes não romperam, ou seja, elas estavam preparadas. Quando olhamos para Jesus na praia ele estava com uma fogueira acesa e com um peixe sobre as brasas. Lembre-se que Jesus disse a Pedro que faria dele um Pescador de homens. Creio que esta atitude de Jesus expressa bem a questão: Pedro já havia sido fisgado no momento em que Jesus o chamou, agora ele estava preparado para ser Pescador de homens. A fogueira representa a ação do Espírito Santo e o Peixe representa Pedro. Assim como aquele peixe estava preparado, Pedro também estava. A maior lição deste episódio é que assim como Jesus trabalhou com Pedro, ele deveria trabalhar com aqueles que o Senhor lhe entregasse.

Conclusão: o mar representa o mundo. O barco representa a Igreja, os peixes representam as almas; a fogueira o Espírito Santo e as redes somos nós. A ordem é que as redes sejam lançadas ao mar. Os peixes devem sair do mar e irem para o barco, do barco para a fogueira, da fogueira para o mar. Do mar para o barco. Do barco para a fogueira.