Tema: Derrubando Gigantes
Texto Áureo: 1 Samuel 17:45

Introdução: No clássico infantil João Mata-Sete, um humilde alfaiate sai à rua gabando-se de haver matado sete moscas com um só golpe.

Os aldeões pensam que ele está se referindo a sete gigantes (havia um ameaçando a região), e nomeiam-no seu defensor. O pobre João não vê como se esquivar da tarefa, e acaba passando por maus bocados. Ele sabia exterminar insetos, mas acabar com gigantes... bem, isso era muito diferente! A Bíblia conta a história de um rapazinho que, ao contrário do personagem da fábula, era um verdadeiro exterminador de gigantes. Ele derrotou Golias, um terrível guerreiro de quase três metros de altura, o qual vestia uma armadura de bronze de noventa quilos e empunhava uma lança cuja ponta pesava onze quilos (1 Sm 17.4-7). O nome do rapaz era Davi. Ele veio a ser conhecido como "o homem segundo o coração de Deus". Assim como Davi, nós também nos deparamos com muitos gigantes em nossa vida. São problemas para os quais não vemos solução, obstáculos que nos parecem intransponíveis e adversários determinados a nos destruir. Como podemos superar tais ameaças? A julgar pelo exemplo de Davi, existem quatro atitudes que devemos tomar se quisermos derrubar gigantes. Você gostaria de saber quais são elas?

I - Sejamos corajosos
A primeira virtude exibida por Davi foi a coragem. Enquanto os soldados se mostravam paralisados de medo, o jovem pastor de ovelhas se apresentou para o combate. Golias desafiou os israelitas durante quarenta dias, dizendo: "Dai-me um homem, para que ambos pelejemos" (1 Sm 17.10). Porém, ainda que o rei Saul oferecesse uma grande recompensa para aquele que lutasse, nenhum voluntário apareceu. As coisas só mudaram quando Davi chegou ao arraial. Ele disse ao rei: "Não desfaleça o coração de ninguém por causa dele; teu servo irá e pelejará contra o filisteu" (1 Sm 17.32).

Há uma definição de coragem que aprecio bastante. Ela diz: "Coragem não é a ausência de medo; é a disposição de seguir em frente apesar do medo". A ousadia tem muito mais a ver com atitude do que com sentimento. Não sabemos ao certo se o pequeno Davi ficou apreensivo diante da visão do brutamontes filisteu. Mas de uma coisa temos certeza: ele se moveu, e isso fez a diferença! No livro O Peregrino, de John Bunyan, há um trecho especialmente belo. Cristão, o personagem principal da história, está caminhando rumo ao céu quando, de repente, encontra dois leões. Ao vê-lo, as feras rugem e rosnam, dispostas a fazê-lo em pedaços. Ele deseja seguir adiante; porém, ao olhar para os leões postados em ambos os lados da estrada, fica petrificado.

O impasse continua até o momento em que Cristão, pela fé, dispõe-se a prosseguir. Ao passar entre as feras, descobre que elas estavam amarradas com cordas cujo comprimento era, exatamente, o necessário para que seguisse em segurança. Se você deixar seus gigantes pessoais barrarem o seu progresso, nunca será um vencedor. Se ficar intimidado com suas ameaças, acreditando que eles são maiores do que o Deus a quem você serve, irá se paralisar. Olhará para os lados à procura de uma saída, ou voltará atrás em busca de segurança. Embora sentir medo seja algo normal, você não foi chamado para viver pelos seus sentimentos, e sim pela fé. Portanto, tenha coragem.

II - Sejamos autênticos
Quando soube que Davi estava disposto a enfrentar Golias, o rei de Israel se propôs a ajudá-lo. Parece que, para Saul, qualquer coisa estava boa, desde que o seu pescoço não corresse risco! Ele "vestiu a Davi da sua armadura, e lhe pôs sobre a cabeça um capacete de bronze, e o vestiu de uma couraça" (1 Sm 17.38). Contudo, a oferta do rei foi recusada. Davi falou que não estava acostumado a usar aquelas coisas e deixou-as de lado. O que é bom para uma pessoa não é, necessariamente, bom para outra. Essa é a segunda lição que aprendemos com o nosso exterminador de gigantes. O rei de Israel era o homem mais alto do povo, ao passo que Davi tinha estatura mediana. Saul era experimentado em batalhas, enquanto Davi só sabia guardar ovelhas. Uma espada nas mãos do rei poderia ser útil, mas Davi se sairia melhor com sua funda de pastor. Tais diferenças tinham de ser levadas em conta na hora de enfrentar o inimigo. "A comparação é a morte da auto-estima", escreveu John Powell. Sempre que nos comparamos a uma pessoa - tentando fazer as coisas exatamente à sua maneira - não nos saímos bem. O resultado é que ficamos decepcionados e passamos a menosprezar a nós memos. Davi, porém, escolheu não imitar ninguém. Ele resolveu ser ele mesmo, e na hora da luta sua decisão se mostrou correta. Lembre-se: Deus está disposto a usá-lo como você é, aproveitando suas características e habilidades, e até mesmo suas dificuldades.

III - Sejamos dedicados
Autenticidade é importante, mas não é tudo. Se quisermos derrubar gigantes, teremos de encarar a nossa tarefa com dedicação. Davi optou por enfrentar Golias com uma funda. Logo, precisaria de pedras. Então, "tomou o seu cajado na mão, e escolheu para si cinco pedras lisas do ribeiro, e as pôs no alforje de pastor, que trazia, a saber, no surrão; e, lançando mão da sua funda, foi-se chegando ao filisteu" (1 Sm 17.40). Davi não pegou o primeiro pedregulho que encontrou no chão. Saiu a escolher cuidadosamente os seixos que utilizaria, até encontrar os melhores. Preparou-se para a batalha com todo o esmero.

Quando nos vemos diante de um desafio, precisamos dar o melhor de nós. Ainda que nosso sucesso repouse nas mãos divinas, certamente o Senhor não se disporá a fazer aquilo que está ao nosso alcance. Nosso lema deve ser: "Ore como se tudo dependesse de Deus, e trabalhe como se tudo dependesse de você". Não me esqueço de um episódio ocorrido quando eu estava na terceira série. Era dia de prova, e um de meus colegas, ao se deparar com as questões, ficou desesperado. Ele disse à professora que não sabia a matéria. — Mas você estava ciente de que o teste seria hoje. Por que não estudou?, perguntou ela. O garoto respondeu: — Eu não tive tempo de estudar porque passei o dia inteiro rezando para que Deus me ajudasse a fazer uma boa prova. O resultado? Toda a turma foi aprovada e saiu de férias, enquanto ele ficou para recuperação! Não existe vitória sem empenho. Davi foi ao encontro do gigante bem preparado. Já aprendera a fazer da dedicação um hábito. No começo da história, quando seu pai lhe dissera que fosse até o acampamento de Israel, a Bíblia afirma que ele "se levantou de madrugada, deixou as ovelhas com um guarda, carregou-se e partiu, como Jessé lhe ordenara" (1 Sm 17.20). Davi não saiu de casa sem antes confiar a alguém os animais que estavam sob sua responsabilidade. Ele era um jovem dedicado. Sigamos seu exemplo.

IV - Sejamos consagrados
Finalmente o cenário está pronto, e a luta vai começar. Davi e Golias se encontram no vale de Elá e lançam-se ao combate. Filisteus e israelitas prendem a respiração. Quem será o vencedor? Neste momento, Davi lança mão da sua "arma secreta". Ele exibe a quarta e última virtude necessária para derrubar gigantes. Ele diz ao adversário: "Tu vens contra mim com espada, e com lança, e com escudo; eu, porém, vou contra ti em nome do Senhor dos Exércitos, o Deus dos exércitos de Israel, a quem tens afrontado". Armado com o nome do Senhor, Davi enfrentou Golias. Ele tinha comunhão com Deus e fé nas suas promessas. Esse foi o maior segredo do seu triunfo. Coragem, autenticidade e dedicação são características de todas as pessoas bem-sucedidas, mas se quisermos conquistar vitórias milagrosas precisaremos de algo mais. Deveremos ter uma vida consagrada e honrar a Deus em todas as coisas. Precisaremos agir em seu nome. Você tem enfrentado seus desafios em nome do Senhor? Tem depositado nele a sua confiança? Tem feito dele o seu conselheiro? Você tem a opção de agir pela carne e contar apenas com seus próprios recursos, ou pode se mover pelo espírito e avançar na dependência de Deus. A estratégia da fé poderá parecer loucura para muitos. Quem não terá pensado isso da atitude de Davi? No final, porém, ela será recompensada. Neste exato momento, alguns gigantes pessoais se movem em sua direção. Eles lhe gritam toda sorte de ameaças, buscando fazer com que bata em retirada ou se lance ao combate atabalhoadamente. Tais gigantes não podem ser tolerados. Eles se colocam entre a sua vida e as bênçãos que o Senhor lhe tem reservado. Você não pode simplesmente ignorá-los. Precisa vencê-los. O gigante que atravessou o caminho de Davi foi lançado por terra. O pequeno pastor "meteu a mão no alforje, e tomou dali uma pedra, e com a funda lha atirou, e feriu o filisteu na testa; a pedra encravou-se-lhe na testa, e ele caiu com o rosto em terra" (1 Sm 17.49)- Após tanta provocação e ansiedade, a luta em si foi surpreendentemente rápida! Encare os seus gigantes, e não se espante se o mesmo acontecer com você. Querido leitor, erga os olhos acima dos gigantes. Enxergue aquele que é maior do que os que se levantam para derrubá-lo. Com ousadia, autenticidade, dedicação e fé, você alcançará as vitórias que lhe foram prometidas. Que Deus seja exaltado em sua vida!