Tema: Sem a santificação ninguém verá a Deus - Hb.12.14
Texto Áureo: Hebreus 12.14

Introdução: O que todo cristão precisa saber para a sua salvação é muito simples; condenação, redenção, regeneração, justificação e santificação. Estes são os cinco pilares da fé cristã. Observe que os 4 primeiros são exclusivos de Deus mas o ultimo é um trabalho em parceria. O homem precisa  desenvolve-lo para o seu crescimento espiritual, sua maturidade cristã e intimidade com o Senhor.

1. O que é santificação?

Separação: não há comunhão entre as coisas de Deus e as do mundo, da luz e das trevas.
Purificação: Deus usa vasilhas limpas, lavadas. Limpeza dos olhos, dos lábios, dos pensamentos, das mãos, dos atos.
Consagração: é um gesto do cristão, declarando em palavras e atos que tudo nele pertence ao Senhor e será para glória de Deus.  Consagração envolve todo o nosso ser, recursos, tempo e atitudes.
Serviço: o serviço apresenta-se como culto, como adoração. Toda a vida do cristão se expressa no culto. E culto não se limita a um ato litúrgico que se dá em um prédio, culto é um estilo de vida, é uma vida vivida em constante adoração a Jesus.

2. Tempo da santificação?
a) Ela é posicional e instantânea – Na justificação fomos plenamente perdoados (Rm 8.1 2Cor 15.17). Quando aceitamos a Cristo nos tornamos santos. A nossa posição em Cristo é a de santos, comprados, selados com o Espírito Santo. Cremos que, no momento da conversão, do novo nascimento, acontece o maior milagre, que é a vinda de Cristo para o nosso coração. Tudo se fez novo.
b) Ela é pratica e progressiva – Em certo aspecto nos tornamos santos ou santificados quando passamos pela experiência da conversão. Mas isto não significa que a santificação já se completou em nós. Não devemos confundi-la com a graça, o presente, a dádiva da salvação.
Quando Paulo escreve aos cristãos ele os chama de santos ou santificados, ma isto não o impede de corrigi-los. Estamos ainda crescendo, tentando chegar a estatura de varão perfeito, correndo para o alvo até atingir o premio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.
c) A definitiva ainda estar por vir – Um dia seremos semelhantes a ele. Ele há de completar a obra só no dia do encontro com Cristo. A cada dia somos trabalhados pela graça de Deus. O Espírito Santo vai aperfeiçoando em nós o caráter, até que tenhamos em nós a plenitude do caráter de Cristo.

3. Quais os meios da santificação?
a) O sangue de Cristo – Ele fala de posicionamento perante Deus. É uma obra consumada que concede ao pecador um lugar na presença de Deus (Hb 13.12). Observe que como resultado desta obra consumada de Cristo o pecador impuro é transformado em adorador santo. A santificação é o resultado dessa maravilhosa obra redentora, ao oferecer no calvário o seu filho para aniquilar o pecado pelo seu sacrifício. Em virtude deste sacrifício, o crente é eternamente separado para Deus;sua consciência é purificada e ele é unido em comunhão com o senhor Jesus Cristo. Fica claro que o que remove essa barreira que é o pecado, entre o ser humano e Deus, para que flua entre ambos a comunhão é o sangue de Jesus. Não há ninguém perfeito, mas é possível andar em comunhão com Deus, desde que o sangue do cordeiro esteja nos purificando. Não há comunhão com Deus se não debaixo do sangue de Cristo.
b) O Espírito Santo – é impossível a santificação sem a operação do Espírito Santo. Daríamos que ele é o agente, o dinamizador. O ensino bíblico deixa bem claro este fato. Da mesma forma que o Espírito Santo pairava sobre o caos original, seguindo-se o estabelecimento da ordem pelo verbo de Deus, assim o Espírito Santo paira sobre a alma humana, fazendo-a abrir-se para receber a luz da vida e a vida de Deus. O Espírito Santo toma o imundo e o leva ao santo. Fez o que aconteceu na casa de Cornélio. E agora os gentios são aceitos na família de Deus porque foram santificados, separados pelo Espírito Santo.
Para uma vida de santidade o Espírito terá de entrar em cena, homens e mulheres santos são aqueles em que o Espírito Santo trabalha.
c) A Palavra de Deus – os cristãos são descritos como sendo, gerados pela palavra de  Deus (1Pe 1.2.3). A palavra de Deus desperta as pessoas para compreenderem a insensatez e impiedade de suas vidas. Quando dão importância a Palavra, arrependendo-se e crendo em Cristo, são purificados pela palavra que lhes fora falada. Esse é o inicio da purificação, que deve continuar através da vida do crente. No inicio de sua consagração ao ministério, o sacerdote israelita tomava um banho cerimonial completo, banho que nunca se repetia, era uma obra feita uma vez para sempre. Todos os dias, porém, era obrigado a  lavar as mãos e os pés. Da mesma maneira, o regenerado foi lavado, mas precisa de uma separação diária das impurezas e imperfeições conforme lhe foram reveladas pela palavra de Deus, que serve como espelho para a alma. Deve lavar as mãos, isto é, seus atos devem ser retos, deve lavar os pés, isto é guardar-se das imundícies em que tão facilmente tropeça os pés do peregrino, que anda pelas estradas deste mundo.

4. Vivendo em Santificação
a. Não mais viver no pecado – já morremos para ele. Não podemos servir a dois senhores. Já rompemos com o pecado e andamos em novidade de vida.
Não mais viver no pecado significa romper, deixar, não ter prazer no pecado. O pecado não é normal na vida do cristão.
b. Andar na contramão da história – o cristão nunca toma a forma do mundo, ele dá a forma, ele influencia, mas ele nunca se conforma. A postura do cristão será sempre oposta, contrária à postura, comportamento do mundo. O cristão é diferente.
O cristão é como o navio, ele está no mundo mas o mundo não está nele, assim como o navio está na água mas a água não está no navio.
c. Viver em união permanente com Cristo -  Jesus é Deus santo. Estar unido a ele significa andar como ele andou, viver como ele viveu, amar como ele amou, servir como ele serviu. Ele nunca pecou, logo estar unido a ele significa ter o caráter dele, sua pureza, ser parecido com ele. Os santos trilham os caminhos de Jesus. Os santos são cristocêntricos.
d. Viver na dependência dele – dependência da sua misericórdia, da sua graça, da sua ajuda. Dependência do Espírito Santo, é ele quem produz o fruto. É olhar cada dia para Jesus e lembrar que sua obra na cruz e na ressurreição foi completa. É reconhecer que em Cristo estão todos os recursos, os tesouros escondidos. Em nós mesmos nada temos, mas em Cristo tudo é possível. As lutas existem, mas a vitória é certa.

5. Resultados da Santificação?
a. veremos as maravilhas – Santificai-vos e amanha farei maravilhas no meio de vós.
b. Seremos vasos de honra – na casa de Deus tem vários vasos, vasos de honra e vasos de desonra, de sorte  que os que se purificarem destas coisas serão vasos de honra, preparados para toda a boa obra.
c. Entraremos na nova Jerusalém – E não entrará nela coisa alguma que contamine, e cometa abominação e mentira; mas só os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro. (Ap.21.270
d. Veremos a Deus – sem santificação ninguém verá a Deus.

6. Por que devemos ser santos?
a. Porque ele é o nosso modelo.
b. porque devemos ser imitadores de Deus como filhos amados.
c. Porque ele disse: sede santo porque eu o Senhor sou santo.

Conclusão: Nosso alvo é a santificação. Temos os meios para alcança-la. Busquemos pois uma vida santa. Que o Senhor , pela sua graça, cumpra em nós todos os seus propósitos. Amém.