A diversidade de dons não é um FIM em si mesmo, mas um MEIO para os crentes serem aperfeiçoados para melhor servirem a Deus através da igreja.

O objetivo desse serviço é triplo: Unidade da fé, conhecimento mais íntimo de Cristo e maturidade cristã.

Esses três objetivos apontam para grande alvo da nossa vida: alcançarmos a estatura da plenitude de Cristo.

 

Vejamos o texto de João 17: 20-23. Aqui Jesus faz uma oração muito importante: "E rogo não somente por estes, mas também por aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim; para que todos sejam um; assim como tu, ó Pai, és em mim, e eu em ti, que também eles sejam um em nós; para que o mundo creia que tu me enviaste. E eu lhes dei a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um; eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, a fim de que o mundo conheça que tu me enviaste, e que os amaste a eles, assim como me amaste a mim.

Certa vez ouvi um pregador dizer que hoje a Igreja está dividida, não por causa de conflitos entre homens, mas sim, por que isso era uma ESTRATÉGIA DE DEUS para alcançar um número maior de perdidos, pois assim sendo, tendo várias "Igrejas", as pessoas poderiam "escolher" melhor entre qualquer uma delas, e optar pela que lhe fosse mais agradável! Ora, isso é uma tremenda contradição com relação ao que Jesus disse, segundo essa oração o mundo crerá quando nós formos um! Além do mais, não podemos pregar um evangelho que seja mais aceitável as pessoas, devemos pregar a legítima Palavra de Deus, e a Palavra é uma só, doa em quem doer, não temos autoridade para modificá-la.

Vejamos a Parábola do semeador (Mt 13:3-9;19-23), por exemplo, ela nos fala que o semeador saiu a semear, o solo o qual atingiu era diferente, mas a semente é sempre a mesma! Por quê? Não podemos mudar a semente, pois a semente é o Evangelho do Reino.

Jesus disse em Mateus 25: 18-19 - "Todo reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá. Ora, se Satanás expulsa a Satanás, está dividido contra si mesmo; como subsistirá, pois, o seu reino?" . Isso significa que nem Satanás é louco o suficiente para lutar contra si mesmo. Assim sendo, como pode a Igreja de Deus estar dividida? É por isso que Jesus orou para que fôssemos um! Você pode imaginar o poder que há na unidade? Se todos pregassem e vivessem o mesmo evangelho? Pense nisso meu irmão!

"Pois a respeito de vós, irmãos meus, fui informado pelos da família de Cloé que há contendas entre vós. Quero dizer com isto, que cada um de vós diz: Eu sou de Paulo; ou, Eu de Apolo; ou Eu sou de Cefas; ou, Eu de Cristo. Será que Cristo está dividido? foi Paulo crucificado por amor de vós? ou fostes vós batizados em nome de Paulo? (1Co1: 11-13)"Leite vos dei por alimento, e não comida sólida, porque não a podíeis suportar; nem ainda agora podeis; porquanto ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja e contendas, não sois porventura carnais, e não estais andando segundo os homens? Porque, dizendo um: Eu sou de Paulo; e outro: Eu de Apolo; não sois apenas homens? Pois, que é Apolo, e que é Paulo, senão ministros pelos quais crestes, e isso conforme o que o Senhor concedeu a cada um? (1Co 3:2-5)

Ora se para o apóstolo Paulo as "panelinhas" dos Coríntios foram consideradas como carnalidade, transformar estas panelinhas em grupos separados seria inadmissível para qualquer um dos apóstolos. E por fim, chamar a cada grupo destes de "igreja tal" seria um absurdo total. E é exatamente isto o que se faz hoje.

Não estou querendo dizer com isso, que Deus não opere no meio denominacional! De maneira nenhuma! Pois a Palavra não me autoriza a isso e a própria experiência prática nos prova o contrário, ainda assim, não podemos confundir a permissão de Deus com a sua vontade. Jesus disse que Deus permitiu a Moisés dar carta de divórcio devido a dureza do coração dos israelitas, mas essa nunca foi a vontade de Deus, desde o princípio (Mt 19:8)! Assim também, Deus permite a situação denominacional e abençoa os seus filhos independentemente de onde estejam, entretanto, sabemos que não é essa a vontade de Deus, Deus não quer a divisão, a sua vontade é que todos sejamos um! (Jo 17:20-23).

O PODER DA UNIDADE – ENQUANTO NÃO HOUVER UNIDADE, O MUNDO NÃO CRERÁ EM JESUS.
O PODER DA UNIDADE – BABEL, NEEMIAS, BATALHAS
UNIDADE É GERADA PELO ESPÍRITO
FALTA DE UNIDADE IMPEDE BÊNÇÃOS.

1. Podemos restaurar uma comunhão rompida tendo iniciativa- Jacó tomou a iniciativa dizendo, teu servo......

2. Podemos restaurar uma comunhão através de uma verdadeira experiência com Deus - O verdadeiro cristão procura o caminho da reconciliação e do perdão. O falso cristão procura o caminho, da contenda, da confusão e da desunião.

3. Podemos restaurar uma comunhão rompida com atitudes concretas - DEUS NÃO ACREDITA APENAS EM NOSSAS PALAVRAS. DEUS OBSERVA TAMBÉM ATITUDES. Veja o que diz a palavra de Deus em I João 4:20: “Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê.” (Esau e o filho pródigo)

4. Podemos restaurar uma comunhão rompida quando o passado é colocado no esquecimento- Deus quer curar lembranças. Em vez de pessoas que vivem alimentando coisas passadas. Deus quer nos transformar em pessoas que sempre estão olhando para frente e sonhando com os projetos de Deus.

Se conseguirmos viver em plena comunhão com nossos irmãos viveremos em plena comunhão com Deus. Deus quer nos levar a uma vida abundante que só poderá ser experimentada quando formos capazes de experimentar uma restauração de todos os nossos relacionamentos e a prática do perdão.

Ilustração: Durante uma era glacial, muito remota, quando parte do globo terrestre esteve coberto por densas camadas de gelo, muitos animais não resistiram ao frio intenso e morreram indefesos, por não se adaptarem às condições do clima hostil.

Foi então que uma grande manada de porcos espinhos, numa tentativa de se proteger e sobreviver, começaram a se unir e juntar-se mais e mais. Assim, cada um podia sentir o calor do corpo do outro. E todos juntos, bem unidos, agasalhavam-se mutuamente, aqueciam-se enfrentando por mais tempo aquele inverno tenebroso.

Porem, vida ingrata, os espinhos de cada um começaram a ferir os companheiros mais próximos, justamente  aqueles que lhes forneciam mais calor, aquele calor vital, questão de vida ou morte…

E afastaram-se feridos, magoados, sofridos. Dispersaram-se por não suportarem mais tempo, os espinhos dos seus semelhantes.  Doíam muito…

Mas essa não foi a solução: afastados, separados, logo começaram a morrer congelados. Os que não morreram voltaram a se aproximar, pouco a pouco, com jeito, com precauções, de tal forma que,  unidos, cada qual conservava uma certa distancia do outro, mínima, mas o suficiente para conviver sem ferir, para sobreviver sem magoar, sem causar danos recíprocos.

Assim, suportaram-se, resistindo à longa era glacial.

SOBREVIVERAM.
MORAL: Esta história nos ensina algumas coisas:
- Precisamos nos unir e respeitar as nossas diferenças.
- Precisamos entender que todos nós somos diferentes, temos defeitos, fraquezas, e por isso, precisamos de mais misericórdia de Deus para suportarmos aos nossos irmãos em amor.

Alguém já disse:
É fácil trocar as palavras,
Difícil é interpretar os silêncios.
É fácil caminhar lado a lado,
Difícil é saber como se encontrar.
É fácil beijar o rosto,
Difícil é chegar ao coração.
É fácil apertar as mãos,
Difícil é reter seu calor.

Efésios 4:1-3: “…andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados, com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor, esforçando-vos diligentemente por preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz.